4 de abril de 2009

Pálido ponto azul


O título deste post é uma referência à obra de Carl Sagan (do livro 'Pale blue dot - A vision of the human future in space'), provavelmente o cientista que mais tenha contribuído para a popularização da astronomia no mundo. Seu programa 'Cosmos', nos anos 80 (se não me engano no Brasil ia ao ar aos domingos, depois do Fantástico), foi visto por mais de 500 milhões de pessoas, dando à ciência uma dimensão nunca antes vista.



O vídeo abaixo, recebido através da minha querida amiga Regina Cardillo, tem uma montagem extremamente interessante. Embora um pouco longo (você não se arrenpenderá em ir até o fim, eu garanto), traz tomadas de um material produzido pelo próprio Sagan mesclado com imagens que retratam a essência humana e que, no conjunto, criam perfeita harmonia (a narrativa, extraída do livro, é dele). Nos faz lembrar o quanto somos insignificantes nesta vastidão cósmica e como são risíveis as causas pelas quais lutamos, transformando nossa existência em um micro poro quase sem valor. É por isso que Abel prega, como no post anterior, que "somos simples mortais perante a lei divina e o que nos torna melhores são as oportunidades, as singelas oportunidades que a vida nos oferece para que a luz se faça presente".



Façamos então valer a pena. Vivamos em respeito ao que nos cerca com compaixão e desapego, mesmo sendo "uma fina película de vida num obscuro e solitário torrão de rocha e metal"...





video







5 comentários:

  1. André, muito bom mesmo tomarmos esta consciência sem esquecer que somos (todos)valiosos para o Criador de tudo isso. Vou assistir agora mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Fantástico Andrew! Assim como os livros preferidos que vão para as nossas cabeceiras, este deveria ser um vídeo para a cabeceira de todos os seres humanos. Antes de dormir, seção noturna com o Carl Sagan... Acho que ajudaria a mudar posturas, a combater o desrespeito, a valorizar o amor e as coisas simples...Taí, estamos de volta à simplicidade...Belo post! Abração!

    ResponderExcluir
  3. Ah, sim, Priscilla, temos todos o nosso valor, sem dúvida. Refiro-me ao fato de sermos parte do universo - e não como muitos pensam - o centro dele!

    ResponderExcluir
  4. Harold, é muito sugestivo mesmo, nos faz pensar e refletir. Valeu o coment, tô esperando o que vem no próximo classic album. Abs!

    ResponderExcluir
  5. É verdade, sempre tem aqueles que pensar ser o umbigo do mundo, mas para este pensar, como disso o Haroldo, Sagan neles! Adorei o post!!!

    ResponderExcluir